Nelson Motta escreveu o texto e a dupla Charles Möeller e Claudio Botelho vai dirigir o musical Dancin’ Days. Embora a história tenha sido imortalizada por Gilberto Braga na trama de 1978, Motta garante que o espetáculo não vai fazer nenhuma menção à novela, como conta a nossa Época desta semana. “Eu jamais teria ciúme de um projeto do Nelson, Charles e Claudio. São três pessoas acima de bem e do mal”, afirma Gilberto, que pretende fazer um remake da trama em 2014. “Mas só se for com a Glória Pires e a Camila Pitanga, para o horário das 23h”.

Espetáculo de Charles Möeller e Claudio Botelho estreia nesta quinta-feira no Theatro Net Rio.

Sentado à terceira fileira, Milton Nascimento olha o palco e não se contém.

— Meu Deus, ainda não tinha visto isso... — diz. 

"Nada será como antes" mostra no palco as principais criações de um dos mais influentes músicos do Brasil.

O aconchego da casa mineira, os tons das estações do ano e a memória das estradas de ferro ou de pedra servem de cenário para o musical “Milton Nascimento – Nada Será como Antes”, que estreia na quinta-feira 9 no Theatro Net Rio, no Rio de Janeiro, e no ano que vem parte para teatros na França, Inglaterra, Itália e nos EUA.

Em 1972, quando somava 30 anos de vida e 10 de carreira, Milton Nascimento lançou o álbum "Clube da Esquina" -marco zero do mais relevante movimento da música de Minas Gerais e um dos mais importantes do Brasil.

O cantor chega hoje a São Paulo com a turnê "50 Anos de Voz nas Estradas", que já passou por Belo Horizonte e Brasília e, em seguida, parte para Salvador, Três Pontas (MG), Porto Alegre e Rio.

Pagina 2 de 2

Buscar